Março – Olhares do universo feminino na contemporaneidade

No dia 11 de março de 2019, em celebração ao mês da mulher, a APEC realizou esta roda de diálogos em parceria com a Escola Oficial d’Idiomes de Barcelona Drassanes (EOIBD). O encontro aconteceu no salão de eventos da Escola Oficial d’Idiomes (Av. de les Drassanes, 14). Após as apresentações e debate com convidadas especiais, os presentes participaram da oficina de Dança da Essência Feminina.

Para este diálogo, contaremos com as presenças de:

Lívia Andrade – é internacionalista, mestranda em gênero e comunicação e integra o serviço exterior brasileiro há 10 anos. Natural de Boa Vista, Roraima, de origem indígena wapichana, formou-se em Brasília e já morou nas distantes Singapura e em Xangai, China. Vive em Barcelona há 2 anos, onde trabalha com a comunidade brasileira.

Flor Coll – do coletivo ‘femiñetas’ (feminismo em viñetas), um periódico feminista, ilustrado e auto gerenciado com tiragem bimestral de 1500 exemplares distribuídos a partir de Barcelona, na Espanha, e Rosário, na Argentina. Criado em 2018, reúne histórias, olhares e lutas de pessoas com perspectivas de gênero em países como Argentina, Espanha, Alemanha, Brasil, Peru e Uruguai.

Juliana Abdalla – é formada em Educação Física, e atualmente realiza uma pós-graduação em Psicoterapias Expressivas com Especialização em Corpo e Movimento. Ministrou a oficina Dança da Essência Feminina cuja finalidade é favorecer o equilíbrio dos chacras e energias Yin e Yang nas mulheres e desenvolver e trabalhar o sentimento feminino através da dança.

Larissa Pagán – é uma das idealizadoras do projeto ‘Sóla me gusto’ que trabalha com a viabilização da sexualidade e do auto amor para enfrentar o grande tabu que existe em nossa sociedade sobre a masturbação feminina. Durante um ano, suas idealizadoras entrevistaram mais de sessenta mulheres de todas as partes do mundo para entender como as diferenças culturais, de idade, crença e diversidade afetam as mulheres nesta questão.

Renata da Conceição – é psicóloga clínica, com doutorado em andamento pela Universidade de São Paulo com o tema suporte social a abuso sexual infantil sob a perspectiva de gênero, e doutorado sanduíche em andamento pela Universitat Autònoma de Barcelona. Paralelamente, estuda e escreve sobre variáveis de gênero que terapeutas devem estar atentos no processo psicoterápico.

Voltar à página inicial